Publicado em Deixe um comentário

Perfume nude: descubra essa tendência agora mesmo

Moda e perfumaria sempre andaram juntas. Dessa vez, a tendência nude ultrapassou os muros do mundo da moda e impactou a perfumaria. O nude é conhecido como aquela cor que se confunde com a pele, que é “quase” a mesma coisa. Ele ressalta e uniformiza o seu tom, seja ele qual for. Assim acontece com o perfume nude.

Os perfumes segunda pele (como também são conhecidos) são fragrâncias que não buscam protagonismo. Apesar de não serem reconhecidos como uma família olfativa, eles potencializam o cheiro da sua própria pele e viram o holofote para o seu cheiro natural. É como se você e o perfume virassem uma coisa só. E cada encontro é único.

Isso não significa que o perfume nude é uma fragrância suave e “esquecível”. Muito pelo contrário. É complexa a ponto de se conectar com o cheiro da pele e transmitir personalidade e exclusividade. São fragrâncias compartilháveis e vem ganhando muito espaço, principalmente, na perfumaria de nicho, com essa exclusividade e incentivo ao autoconhecimento.

Esse tipo de fragrância é envolvente e sensual na medida certa. Normalmente, são da família floral musk ou floral oriental, mas não existe uma regra: o que importa é o cheiro se misturar na sua pele e parecer invisível. Só parecer.

Conheça o perfume segunda pele da Amyi

Um dos perfumes Amyi carrega esse conceito. O Amyi 2.11 é um perfume da família floral musk, com notas de muguet, cashmere e um complexo com 13 musks diferentes. “É um perfume que evolui numa saída extremamente fresca e harmoniosa, evoluindo para um corpo de um bouquet floral, com muguet e gerânio. Com o passar do tempo, ele será envelopado com a combinação de musks e ambre” conta Hernan Figoli, o criador do Amyi 2.11.

Essa combinação de musks é o que dá a esse perfume um aspecto de segunda pele. “Foi a primeira vez que criei uma fragrância com 100% de liberdade. É muito gostoso e prazeroso não ter limites na sua criação. É como dar ao pintor um quadro branco, um leque de cores e um pincel”. Hernan, perfumista há mais de 35 anos, conta que a grande inspiração do 2.11 foi um dia no parque com as filhas: “aquela sensação de sentir bolinhas de sabão encostando na sua pele. O cheiro do ar, do verde, daquele momento. É um cheiro muito intimista, de muita pureza.”

Foto/Divulgação: Amyi 2.11

Perfume nude e a técnica do ‘layering’

Outro ponto importante dos perfumes nude é que eles podem servir como base para outro perfume. Como assim? Te explico: 

Existe uma técnica chamada ‘layering’, que nada mais é do que criar camadas de diferentes perfumes, um por cima do outro. O ideal é criar camadas com duas fragrâncias, mas você pode usar a criatividade e se jogar. Para isso, você deve aplicar a fragrância mais encorpada primeiro e a mais suave depois, para que uma não anule a outra. Essa técnica pode aumentar a durabilidade na pele e criar uma nova fragrância única. 

O perfume segunda pele é perfeito para servir como base, ou seja, para ser aplicado primeiro e, em seguida, sobrepor com outro perfume. Uma boa dica é aplicar o Amyi 2.11, esperar dois minutinhos e aplicar o Amyi I (você pode passar um por cima do outro ou escolher partes diferentes do corpo para cada um). É uma combinação única. 

O Amyi 2.11 é uma fragrância clara, leve, refrescante. Nos traz a sensação de bem-estar e nos prepara para um novo dia. Uma sensação de segunda pele, com notas limpas e duradouras, pra usar e se apaixonar. Um perfume que flutua entre os aromas naturais de cada um.

Quem diria que um perfume poderia ser tão intrigante? Conheça agora o Amyi 2.11.

Publicado em Deixe um comentário

Viagem e fragrâncias: como criar e eternizar memórias

Certo dia, eu estava saindo de um restaurante em São Paulo, após almoço, quando, em questão de segundo, minha memória começou a viajar no tempo.  De repente, fui levada à Paris, no inicio dos anos 90. Minha primeira viagem sozinha à Europa, vendo os ícones tão famosos. Numa época ainda sem celular, sem selfies, em que as emoções eram divididas comigo mesma. Chorei ao recordar.

Tudo havia sido provocado por um cheiro de lavanda gourmand. Uma fragrância oriental, com baunilha, florais brancos, patchouli, chocolate, âmbar, sândalo, musk. Pelo menos foi disso que me lembrei. Era minha primeira viagem a trabalho e um ensaio de perfume, feito pela perfumista Soraia da Costa Silva, me foi dado para usar na viagem. Essa fragrância nunca foi lançada, mas gerou incontáveis recordações e memórias inesquecíveis para mim.

Quando sentimos um cheiro, esta sensação oculta uma sequência de fenômenos que vão desde a liberação de moléculas voláteis até os estímulos emocionais que sentimos, como acontecia na Madaleine de Proust. Hoje, a perfumaria enfrenta um novo desafio – apresentar soluções em fragrâncias que tragam conexões emocionais únicas ao se usar um perfume. Mas uma coisa já aprendemos: mesmo desconhecendo os segredos da ciência do bem-estar em perfumes, as fragrâncias provocam memórias e emoções que ficarão gravadas para sempre.

Perfumes e memórias de viagens

Nossa memória é um complexo de lembranças e recordações que ajudam a formar nossa identidade. Após uma viagem, teremos muitas histórias para contar. Eu sempre seleciono um perfume para levar e também já comprei durante a viagem.

Lembro de uma viagem que fiz com meu namorado (hoje marido) e levei uma colônia White Lilac de Vinolia. Fomos pra Minas Gerais. Não trabalhava na perfumaria ainda, mas tenho vívida memória dessa viagem (aprendi a andar de patins e tenho fotos estatelada no chão para provar). Um dia, ao chegar em casa, o frasco se quebrou na copa da casa da minha mãe. Apesar de ser uma colônia baratinha para a época, impregnou a casa por dias. Interessante que muitos dos detalhes que eu trouxe aqui não vinham à minha mente há anos. Foi preciso falar das fragrâncias para que isso acontecesse.

Uma lavanda gourmand em Paris, um floral verde em New York, uma íris em Portugal, uma fragrância solar nas ilhas baleares, uma rosa na Califórnia, um jasmim no Egito, e, recentemente, o Amyi 2.11 em Dubai, foram alguns dos perfumes que já levei na minha mala de viagem. Graças à escolha de fragrâncias para cada viagem, os registros ficarão eternizados na minha memória. Não importa quanto tempo passe. Ao invés de deixar esses registros maravilhosos esquecidos e só abri-los num álbum de fotos, eu procuro tê-los junto com as minhas emoções.

Foto Divulgação: Amyi 2.11

O que é memória olfativa?

É o cheiro que traz recordações, que te faz voltar no tempo e lembrar vividamente um lugar, uma pessoa, um momento. Isso acontece porque nosso cérebro tem uma capacidade incrível de associar cheiros e gerar memórias, numa área chamada de sistema límbico, também chamado de cérebro emocional.

É ali onde nossas emoções são geradas. Por isso os cheiros têm o poder de interferir no nosso comportamento e emoções. Nossa memória olfativa também é responsável por recordarmos com prazer ou não de certos acontecimentos e trazer com intensidade a memória de algum evento.

Uma fragrância para cada viagem

Uma das minhas estratégias de viagem é ter a programação feita e uma fragrância para marcá-la. A fragrância nos ajudará a despertar experiências e será um estimulo para reviver lembranças. Certamente isso será um diferencial inesquecível.

Sabia que a memoria humana pode recordar mais de 10 mil combinações de cheiros e reconhecer apenas 200 cores? Isso por si só já mostra a importância de uma fragrância, especialmente em uma viagem.

Não importa o seu destino, viajar nos tira da rotina, nos faz olhar o mundo de outra forma, ter novas experiências, respirar novos ares e nos sentir bem. Expande nossa criatividade, nossa socialização, autoestima e confiança. Todas essas boas memórias serão estimuladas sempre que a associarmos a um cheiro que nos induzirá a nos conectarmos com elas. 

Foto: Acervo pessoal/Helen Augusto

Viagem, lembrança e felicidade

Viagens e fragrâncias trazem felicidade. Por que não uni-las? Invista nessa experiência, nos momentos que lembrarão e que te marcarão para sempre. Qual a sua experiência? A minha, sempre que seleciono uma fragrância para uma viagem, mesmo que curta, fica muito mais na minha memória. Podem se passar meses, anos, que vou continuar lembrando de cada detalhe e experiência que vivi.

Já quero viajar novamente. Qual fragrância vou levar?

Clique aqui e conheça os perfumes Amyi. 😉

Publicado em Deixe um comentário

Sustentabilidade como consumo de propósito

Você avalia os valores das marcas que consome? Acredito que a grande maioria vai responder que sim. Passou a ser normal que as pessoas queiram consumir de marcas que estejam alinhadas com os seus princípios (que bom!), mas a gente sabe, nem sempre foi assim.

Consumo e consumidor mudaram ao longo do tempo. Antes, a qualidade do produto era o suficiente para virar cliente de uma determinada marca. Hoje, apenas a qualidade do produto é pouco. Como ele é feito e porquê são também relevantes para a decisão de compra.

Não consumimos mais produtos. Consumimos propósito e intenção.

E quando falamos de sustentabilidade, propósitos precisam estar claros assim como a sua intenção. Abraçar o estilo de vida mais sustentável não é apenas uma tendência, é necessário. E isso engloba atitudes individuais e tudo que consumimos no nosso dia a dia.

Por isso, é importante observar o lixo que produzimos, para ter consciência do quanto desperdiçamos. Reutilizar objetos, economizar água, cultivar mais plantas e até andar a pé são formas de cuidar do meio ambiente. Mas, além disso, as marcas que escolhemos comprar também impactam no planeta.

A sustentabilidade na perfumaria

Na indústria de cosméticos, é necessário ter um olhar atento para as embalagens dos produtos, os ingredientes usados, além de garantir a produção livre de qualquer crueldade. E quando o consumidor se atenta aos princípios da marca que ele consome, as marcas começam a rediscutir seus princípios. Vira um ciclo e todo mundo sai ganhando.

Para a perfumaria, o desafio também é grande, uma vez que muitos ingredientes e matérias-primas não naturais é mandatório garantir um manejo sustentável. E é nesse contexto que entra o sintético como aliado. O material sintético, apesar de ser visto como um “grande malvado”, é muito importante para a sustentabilidade. Alguns ingredientes naturais, além de não serem 100% seguros para nós, estão ameaçados de extinção. Por isso, quando utilizamos ingredientes sintetizados em laboratório, protegemos esses materiais e ampliamos o leque de cheiros para o perfumista criar livremente.

Foto Divulgação: Perfumes Upcycled Amyi

Na Amyi, favorecemos o uso de ingredientes naturais desde que venham de fontes eticamente sustentáveis. Usamos materiais recicláveis em nossas embalagens e o mínimo de plástico possível. Reutilizamos ingredientes descartados em nossos perfumes (conheça nossos perfumes upcycled Amyi 2.12 e Amyi 2.14) e somos uma marca totalmente vegana e cruelty-free. Para a Amyi, o olhar para o meio ambiente é mais do que prioridade. Não dá para existirmos se não for assim.

Ainda não conhece os nossos perfumes? Clique aqui para conhecer. 😉  

Publicado em Deixe um comentário

Experiência: a tendência que vem com tudo no varejo

É comum ouvirmos por aí que o ambiente digital é o futuro. Menos esforço, mais espaço para se comunicar com o consumidor, rapidez no processo, conforto de receber em casa. Mas será que todos estão felizes assim? 

A verdade é que o que faz o consumidor comprar é a experiência. Lojas físicas, em geral, vem se tornando uma dinâmica cansativa. Seja pela complexidade do espaço, pela falta de auxílio ou até pela insistência do vendedor. Já pelo olhar da neurociência, podemos dizer que as marcas que estão no varejo têm, na verdade, uma mina de ouro nas mãos.

Isso porque o ambiente físico é capaz de juntar todos os cinco sentidos e criar micromomentos memoráveis durante a jornada do cliente. Ou seja, quando a marca está atenta à experiência que ela proporciona, ela consegue criar um vínculo mais profundo com aquele consumidor. Tudo isso gera amigabilidade, confiança e conexão entre propósitos.

Experiência na prática

Proporcionar experiência é fazer o cliente olhar o produto não apenas como algo funcional, mas sim pelos valores daquela marca. Essa conexão pode ser fortalecida por meio de conteúdos escritos e falados, objetos, cheiros, músicas, além – é claro – da sinergia com os princípios da marca. Afinal de contas, aquilo que provoca a sinestesia (união dos sentidos) é capaz de criar uma relação muito mais profunda e verdadeira. 

Dessa forma, a vivência no ambiente físico volta a ser uma tendência pro futuro. Tudo que nos trouxer pra vida real, pro natural, pro toque, pro social, vem com tudo nessa era pós-pandêmica. E foi por esse caminho que a Amyi escolheu seguir ao inaugurar a primeira Pop-Up Store no Morumbi Shopping. Mesmo tendo nascido como uma marca DNVB (digital native vertical brand – em português, marca vertical nativa do ambiente digital) é preciso acompanhar as necessidades e dores do consumidor.

 

Foto divulgação: Pop-Up Store Amyi no Morumbi Shooping

Nosso público queria sentir a Amyi em todos os sentidos. Pegar, cheirar, olhar, experimentar cada produto. Entender mais sobre o seu próprio perfil olfativo, conversar  sobre o universo da  perfumaria. Vivenciar  a  jornada sensorial e educativa, tão especial e reconhecida por quem já viveu. 

 

Foto divulgação: Experiência Amyi

É assim que a Amyi chega ao varejo: não apenas para vender perfume, mas criar uma nova relação do consumidor com a perfumaria. Queremos encantar não só pela altíssima qualidade dos produtos, mas também pela forma especial e prazerosa com que faremos isso. Unindo tecnologia à uma experiência imersiva e acolhedora.

Nasce no varejo um novo conceito para escolher e comprar um perfume.

Ainda não conhece a Experiência Amyi? Clique aqui

Publicado em Deixe um comentário

Por que a gente adora pedir indicação de um perfume?

Dizem que se conselho fosse bom não se dava, se vendia. Ainda assim, por que então a gente adora pedir indicação de um perfume?

Uma pesquisa interna da Amyi indica que mais de 90% das pessoas já receberam conselhos ruins sobre um novo perfume e sentiram, literalmente, na pele esse resultado. Escutar sugestões de outras pessoas sobre diferentes tipos de perfume não é um problema, mas é preciso filtrar certas opiniões que podem levá-lo a uma escolha que não combina com você. 

Confira os piores conselhos e saiba porque eles não funcionam na hora de escolher um novo perfume: 

“Se você quer um perfume bom, tem que comprar um perfume importado.”

Foi-se o tempo que um perfume bom era criado apenas em terras estrangeiras. Ainda bem! A alta qualidade de um perfume está, na verdade, relacionada a outros tipos de variáveis. Por exemplo: 1) investimento em ingredientes e matérias-primas nobres da perfumaria mundial; 2) perfumes com rotas olfativas diferenciada e 4) percentual de concentração do óleo essencial. 

“Para não errar, compre um perfume parecido com o que você já usa.” 

Ou seja, permaneça na mesmice. Para não errar, a gente precisa de mais conhecimento, mais experimentação e o mais importante de tudo, ter clareza sobre como nos sentimos com um novo cheiro que está em nosso corpo. Novas marcas de perfumaria, nacionais e internacionais, trazem os chamados “Discovery Sets” ou Kits de Experimentação como uma forma muito mais prazerosa. Conheça diferentes tipos de perfume antes de você sair comprando logo um frasco enorme. Use e abuse dessas vivências. 

“A mulher até pode usar perfume masculino, mas o homem usar perfume feminino não combina.” 

A perfumaria moderna vem deixando os rótulos de feminino e masculino para trás. Aos poucos estamos evoluindo para uma perfumaria genderless, sem julgamento de gênero. Em outras palavras, o importante agora é a criação de caminhos olfativos que agrade pessoas e não gêneros. E vamos combinar? Faz total sentido isso.

“Se você gostou do perfume X, vai gostar do perfume Y.” 

Se você gosta de laranja, vai gostar de tangerina? Muito provavelmente sim. Agora, após ouvir um conselho como esse, qual a chance de você pedir para experimentar um abacate? Pequena, não é mesmo? Pois é assim que entramos, sem perceber, em hábitos que podem acabar com a oportunidade de você ter uma feliz surpresa com um perfume que nunca imaginou usar. E a pergunta que não quer calar: por que não ir além do perfume que você já sabe que gosta de usar? Medo de errar, praticidade, hábito, piloto automático…  

Para ousar por um caminho que te satisfaça leve em consideração seu estilo de vida e a sua atitude. Olhe com atenção para momentos especiais que pedem um novo cheiro e uma nova expressão de você. Essa pode ser uma tarefa difícil no começo, mas temos certeza que ao se observar cada vez mais, tudo isso se tornará um hábito delicioso. Agora, se você ainda sente uma certa insegurança para esse passo mais ousado, a gente te ajuda nessa descoberta. 

Publicado em Deixe um comentário

O futuro das fragrâncias é mesmo sem gênero?

Uma nova classe de perfumes, além dos gêneros, feitos para atender tanto a homens quanto a mulheres, tem tido muito sucesso. Entre nesta nova fase da perfumaria compartilhável, também conhecida por “genderless”.

A ideia não é nova. Em 1929, Jean Patou lançou o perfume Le Sien (cujo significado é “dele”, mas com uma propaganda que dizia “Perfume masculino para a mulher”), o primeiro perfume claramente compartilhável, um perfume Verde Aromático, criado por Henri Almeras.

Em 1994, Calvin Klein voltou a este conceito, com o nome “unissex”, em CK One, com enorme êxito comercial. O conceito compartilhável e sem gênero, então, reivindicava a simplicidade, o compartilhar, a juventude. Os perfumes eram frescos e leves. Surgia a questão: seria apenas um critério comercial ou a expressão de uma tendência?

Na época, outros perfumistas e marcas de renome viram nesse conceito uma oportunidade: Gieffeffe (1996) de Gianfranco Ferré, Paco (1996), de Paco Rabanne, Dalimix (1996), de Salvador Dali, Água (2000), de Loewe.  Em 2006, o perfumista independente Geza Schoen fundou a  Escentric Molecules, com o objetivo de permitir o uso compartilhado e combinado de fragrâncias, evitando a segmentação por gêneros e contribuindo para que fragrâncias tivessem um aspecto único para cada usuário. Assim, chegamos aos anos 2020, com o conceito de perfumes para homens ou para mulheres parecendo estar um pouco fora do caminho, em relação aos movimentos sociais. 

As mensagens subliminares nas lojas continuam fortemente alinhadas com o Marketing e reinam como sempre: linhas arredondadas e femininas, com notas florais e cores como rosa, salmao, para mulheres, enquanto as fragrâncias masculinas seguem em frascos mais severos, duros, encorpados, em cores classicas e mais escuras como azul, cinza, preto, evocando a masculinidade e a virilidade desejadas por mulheres românticas. 

Isto parece eficiente para a indústria da perfumaria, que tem usado essa estratégia há dezenas de anos. Contudo, agora, em pleno 2021, a indústria da perfumaria de nicho está liderando o movimento para derrubar esses estereótipos. De acordo com a Mintel, os lançamentos de fragrâncias sem gênero representaram 17% do Mercado em 2010 e esse número havia subido para 51% em 2018, algumas com conceitos não conformistas, como Memoire d’Une Odeur, de Gucci, que explora memórias do passado e viagem ao futuro, sem uma definição de gêneros.

De olho no futuro, em novembro/2019, “A Amyi Perfumes chegou com a ideia de trabalhar suas fragrâncias num ambiente sem gênero”, conforme afirmam suas co-fundadoras. E isto se mostrou assertivo, uma vez que recentes pesquisas feitas pela marca mostram que uma das fragrâncias mais apreciadas pelos homens é a Amyi V, um perfume muito floral, de rosa, jasmim e freesia. E nossa ídeia é: “Se você gosta desse perfume, o que importa o gênero? Por isso, nossa filosofia não é caracterizar nossos perfumes por gênero”. 

O movimento genderless em fragrâncias segue, não porém sem esbarrar em algumas fortes influências sociais e culturais, que têm a ver com a forma em que homens e mulheres ainda são criados. Aos poucos, essa visão tradicional está sendo rompida. 

Boa parte dos perfumes ainda têm gênero, seja por estar claramente declarado no rótulo ou pela publicidade nele, porque isso ainda funciona. Por outro lado, marcas de nicho, como a Amyi, estão despojadas de declarações ou dicas visuais, o que faz com que homens não se censurem ao usar fragrâncias e ingredientes tradicionalmente femininos, como as flores. O crescimento da perfumaria de nicho tem contribuído para quebrar os códigos olfativos de gênero.

Ao passo que, no passado, fragrâncias sem uma verdadeira abordagem de gêneros surgiam e desapareciam do cenário mundial, o movimento agora vem da sociedade, em que gênero e identidade estão claramente em foco. Neste sentido, fragrâncias sem gênero ganham força e este parece ser o principal motivo do futuro dos perfumes genderless.

Publicado em Deixe um comentário

Para compreender a perfumaria de NICHO em 5 palavras

Perfumes de Nicho_Amyi

A Perfumaria de Nicho, como o próprio nome sugere, é uma fatia da grande indústria da perfumaria. Muito já foi publicado sobre ela e como o meu objetivo é sempre o de democratizar o acesso ao conhecimento desse setor, nesse artigo trago a palavra NICHO, como uma sigla para simplificar e fixar conceitos:

NARIZ, INGREDIENTE, CLIENTE, HETEROGÊNEA, OSTENTAÇÃO

Sigla definida, agora vamos aprofundá-la:

Nariz 

“Niche brands are driven by artisans who seek to create experiences rather than brands”. Michael Edwards

Pouco evidente na perfumaria mais acessível e no Duty Free, o Perfumista aqui tem palco e maior liberdade criativa para compor, se expressar mais artisticamente e dar enfoque ao “savoir-faire”, sem a preocupação com a aceitabilidade comercial do perfume. Saber quem é o nariz por trás daquela fragrância, quais criações estão em seu portfólio ou até mesmo se é dono da sua própria marca é informação essencial para o consumidor desse segmento. 

Perfumes Byredo

Ingrediente

Introvertida e muito mais voltada para a qualidade do conteúdo em seu frasco, na Perfumaria de Nicho as embalagens normalmente são padronizadas e dispensam investimentos astronômicos em campanhas de marketing ou endosso de celebridades. Aqui, o ingrediente é o protagonista da conquista, um storyteller, com menção honrosa no nome das fragrâncias. Matérias-primas em overdose ou em combinações inusitadas são responsáveis pela peculiaridade arrojada das fragrâncias, resultando em uma perfumaria com mais assinatura. 

Cliente

O nicho surgiu como uma vertente independente da perfumaria convencional, para, inicialmente, ser distribuída de forma mais restrita, regionalmente. O seu acesso é limitado, com uma distribuição seletiva de até 400 pontos de venda. Portanto, a exclusividade é um fator determinante nesse segmento, que une pessoas que entendem muito do assunto e querem personalização, um perfume para chamar de seu. Os clientes da Perfumaria de Nicho buscam descobertas olfativas, como novas formas de se vestir olfativamente. Em linhas gerais, querem todo o conceito de luxo em forma de perfume e se dispõem a pagar por fragrâncias de alto valor. Não é uma perfumaria de grande escala e consumo rápido. 

Heterogênea

Mesmo quando analisamos as fragrâncias de uma mesma marca de Nicho, percebemos um mosaico de perfis olfativos. Ainda que um mesmo ingrediente possa ser protagonista de fragrâncias de diferentes marcas de nicho, é provável que as composições tragam efeito olfativo totalmente diferentes e é essa pluralidade que preserva a riqueza do segmento.

Ostentação

É falso que um produto caro seja de luxo, mas é sempre certo que um produto de luxo será caro, já que luxo não se restringe ao material, é um conceito do estimulante, do polarizante, que tem tudo a ver com conquista. O resultado da soma de ingredientes de alta qualidade, perfumista de prestígio, da exclusividade e pequena escala, só poderia ser de alto valor agregado. Um Perfume de Nicho é significativamente mais caro que o da perfumaria de prestígio, variando de centenas de reais a valores inestimáveis. 

Acredito que esses pontos cumprem bem a função de resumir com clareza esse segmento. Agora, complemento com outras três dúvidas mais comuns sobre a Perfumaria de Nicho:

Mas, afinal, quais são as marcas de perfumaria de nicho?

Normalmente, quando o assunto é nicho, marcas como Diptyque, L’Artsian Parfumer e Byredo são algumas das mais lembradas e difundidas pelo mundo. São como “a perfumaria de massa”, dentro do nicho. Loucura, né?

As marcas de nicho começam muito pequenas e quando apresentam um posicionamento muito diferenciado e aceitação de mercado, acabam sendo adquiridas como no caso de Atelier Cologne, Le Labo, L’Artsian Parfumer, Maison Kukidjian, by Kilian, Tom Ford e Penhaligons.

Grandes grupos como PUIG, LVMH, L’Oreál ESTÉE LAUDER adquirem as marcas nichadas, atraídos pela inovação e “frescor” que essas marcas trazem e, assim, a perfumaria alimenta o seu ciclo de criatividade. 

Perfumes Chanel

Essa inovação vai além do olfato, e a marca parisiense Floratropia, com suas embalagens sustentáveis, é um ótimo exemplo de como ser independente das principais tendências do mercado, traz esse frescor de soluções.

As tradicionais também não ficam de fora: Maison Chanel, Guerlain, Dior e Hermès, por meio de suas coleções de fragrâncias que contam histórias de ingredientes ou lugares, seguem os códigos olfativos, de embalagem e de posicionamento da Perfumaria de Nicho. Claro, com preços elevadíssimos para atingir públicos abonados e apaixonados.

Onde eu encontro uma marca de nicho?

Perfumes de nicho são inicialmente vendidos nas suas lojas próprias ou em pontos de vendas muito exclusivos como a perfumaria AEDES em NY, Nose em Paris, Luckyscent em Los Angeles ou na NEECHE em São Paulo. Quando essas marcas adquirem mais visibilidade, passam a ser encontradas, até mesmo nas prateleiras da Sephora, marketplaces ou em feiras voltadas para esse setor. A Fragranze, realizada anualmente em Florença pelo grupo Pitti Imagine, é uma delas.

Em 2019 a Paralela esteve na cidade italiana especialmente para a degustar a Fragranze #17, que teve como ingredientes protagonistas dos perfumes o oud e florais pesados, com destaque para Sana Jardin, com viés social e sustentável que instigou uma resenha detalhada no Blog da Paralela.

Outro destaque da feira foi a homenagem à Jean-Claude Ellena, um dos perfumistas mais influentes da perfumaria contemporânea, que trocou sorrisos e muito conhecimento.

Fragranze #17 e palestra com Jean-Claude Ellena

E, por fim a questão…

Existe Perfumaria de Nicho no Brasil?

Por aqui, os passos são lentos, mas muito significativos.

Temos a Jo Malone, que rapidamente caiu no gosto do brasileiro e abriu lojas nos shoppings mais refinados do país.

Influenciadores digitais e atrizes ajudaram a permear marcas como Atelier Cologne, do Grupo L’Oréal, e Escentrics Molecules nos marketplaces como Renner e Casas Bahia e na loja Neeche, no Shopping Iguatemi, em São Paulo.

Em 2020, a marca de nicho AMYI, idealizada pelas brasileiras Larissa Mota e Luciana Guidi, teve um lançamento de sucesso no mercado nacional. Mesmo com a pandemia do coronavírus, a indicação na categoria “Perfume Independente” no 7º Annual Art and Olfactory impulsionou seu reconhecimento internacional.

Perfume Amyi finalista do prêmio “The Art and Olfaction Awards”.
Em amarelo, suas notas de saída, rosa, notas de corpo e verde, notas de fundo.

Quais novas marcas de nicho surgirão? Que novas histórias irão contar?

Minha aposta é de que histórias mais humanas, transparentes e mais integradas com a natureza estão por vir.

Cheirosamente,
Alessandra Tucci.

Paralela Escola Olfativa

Uma escola livre que nos inspira não só a pensar ou fazer diferente, mas a sentir. Somos a única no Brasil a oferecer certificado pela Cinquième Sens (escola francesa com 43 anos de atuação na França e presente em mais de 10 países) e a pioneira no Brasil, em que sentir para entender a perfumaria é a principal metodologia. Não ensinamos fórmulas prontas: ensinamos a pensar, a ousar. Nesses quase 8 anos de atuação, recebemos mais de 1200 alunos na nossa sede, em São Paulo, e os incentivamos a olhar para a perfumaria em todos os ângulos.

Publicado em Deixe um comentário

Quinto princípio: ser apaixonado por perfume nos dá coragem.

PaixaoPerfumaria_Amyi

Você sabia que o brasileiro é considerado o povo mais apaixonado por perfumes do mundo? Acredite ou não, somos a população que mais usa fragrâncias em todo o planeta, isso considerando o consumo por pessoa (per capita) em litros. Um brasileiro, em média, chega a usar 3x mais perfume que um francês, por exemplo, mesmo ele tendo nascido no país referência em perfumaria.  

E qual a explicação para todo esse amor que só a gente entende? 

O primeiro ponto que vale destacar é a herança dos povos indígenas, com registros de uma frequência com mais de 10 banhos por dia no verão. UAU! 10 banhos por dia? Isso mesmo. Um hábito de higiene e limpeza que vem passando de geração para geração. Ainda hoje podemos encontrar, em regiões mais quentes do Brasil, a média de 5 banhos por dia acompanhados por sabonete, desodorante e perfume. Eita povo cheiroso! 

A segunda, e não menos importante, constatação refere-se a nossa paixão por cheiros gostosos em nosso corpo e aversão a cheiros desagradáveis. Parece óbvio, e é, mas para brasileiros. Sentir-se limpo e perfumado em nosso clima tropical é mais do que uma questão de higiene, nos traz honra e dignidade. Você já notou em contato com pessoas de outras nacionalidades que o brasileiro é sempre o mais preocupado em estar perfumado e limpinho? Somos únicos neste ponto. 

O encontro com a coragem

Apesar de ser considerado o povo mais apaixonado por perfumes, não encontramos criações locais com rotas olfativas diferenciadas ou ousadia na criação e experimentação de perfumes assim… diferentões. Nossa hipótese para isso? O Brasil ainda está  engatinhando quando o assunto é conhecimento sobre perfumaria entre as pessoas. Isso porque o conteúdo técnico é complexo e a melhor forma de estimular o aprendizado, que é colocando o nariz onde não é chamado, é uma tarefa nada trivial. Seja por tempo, dinheiro ou saturação olfativa, o processo de experimentação de novos perfumes sem ajuda educativa não é somente para os fortes, mas sim para os corajosos. 

Criando corajosos

Na Amyi, buscamos transformações! Além do hábito de se perfumar através do instinto, queremos impulsionar a possibilidade de descobertas através do conhecimento. Na perfumaria não existe certo ou errado. Perfumaria é uma arte e não uma ciência exata, apesar de toda química envolvida, e como toda arte, o aprendizado vem ao explorar, sentir e permitir conexão real entre o estímulo e a nossa própria história. E olha, parece fácil, mas haja coragem para isso! 

Para ajudar, nos desafiamos constantemente a trazer mais conhecimento sobre perfumaria de uma forma prazerosa e útil em nossa jornada educativa online. Chega de palavras difíceis e conteúdo técnico que não explica nada. Nosso objetivo é tornar fácil e gostoso o processo de experimentação de novos perfumes com a ajuda do conhecimento,  porque verdade seja dita, não é fácil nos abrirmos para algo diferente e que não faz parte daquilo que eu já conheço e sei que gosto. Mudar é se aventurar a entrar em contato com o que vamos e o que não vamos gostar e queremos estar de mãos dadas com você nessa travessia. 

Assim, deixo aqui nosso convite: que tal se aventurar olfativamente por novas rotas olfativas? Com tantas facetas, humores, sonhos e desejos, lembre-se que somos diferentes a cada dia – e ainda bem! Quando estiver pronta ou pronto para embarcar em nossa aventura olfativa, estaremos de braços abertos, perfumes prontos e narizes preparados para te dar a mão.   

Publicado em Deixe um comentário

Contagem regressiva para o “The Art and Olfaction Awards 2020”

Amyi VIII_Perfumaria de Nicho

A Amyi é finalista da 7ª edição do “Art and Olfaction Awards”, um dos prêmios internacionais mais prestigiados e importantes do universo da perfumaria! Nosso eau de parfum Amyi VIII foi nomeado finalista na categoria Perfumaria Independente cinco meses após o lançamento, e somos a primeira marca de perfumaria nicho brasileira a alcançar esse feito. Se  estamos felizes e orgulhosas? Não estamos sabendo lidar, rs. 

O “Art and Olfaction Awards” foi criado em 2014 para celebrar a excelência na perfumaria independente e aumentar a visibilidade das novas criações em escala global, contemplando criadores mais experimentais e conceituais, expandindo o “cheiro” para intervenções públicas em exposições, publicações ou ações. Por isso, os prêmios serão entregues no dia 17 de setembro aos criadores de destaque nas categorias: Perfumaria Independente, Perfumaria Artesanal e Projeto Experimental lançados em 2019 ao redor do mundo. Outros três prêmios contemplam categorias discricionárias: Aftel Award, Contribution to Scent Culture Award e Septimus Piesse Visionary Award. 

Desde a primeira edição, na categoria Perfumaria Independente, 45 perfumes das mais diversas nacionalidades e inspirações foram finalistas, mas nenhuma fragrância brasileira chegou tão longe quanto o nosso Amyi VIII! Na edição deste ano foram centenas de inscrições recebidas de todo o mundo e saber que estamos na final nos enche de orgulho  e nos dá ainda mais certeza de que estamos no caminho certo. 

O Amyi VIII faz parte de um seleto e diverso grupo de 12 perfumes oriundos de países com diferentes aromas e criações: Alemanha, Itália, Canadá, República Tcheca, França, Suíça, Noruega, Estados Unidos e claro, Brasil. Doze juízes selecionaram por meio de testes cegos os dez finalistas nas categorias Independente e Artesão do conjunto de envios. Os seis juízes que retornam à etapa final selecionarão os vencedores do grupo. A cerimônia de premiação que aconteceria no dia 14 de maio de 2020, em Los Angeles, mas foi postergada em função do combate ao COVID-19. 

Abaixo a lista de finalistas na categoria Perfumaria Independente por ordem alfabética: 

A premiação é fruto do The Institute for Art and Olfaction, organização sem fins lucrativos fundada em 2012, em Los Angeles, para promover o acesso do público à arte da perfumaria. Projetos experimentais, educação acessível e parcerias com instituições e grupos comunitários são alguns dos trabalhos do Instituto, cujo objetivo é aumentar a visibilidade da perfumaria independente, artesanal e experimental pelo mundo.

 

Criado pelo perfumista Samuel Moraes a convite da Amyi com total liberdade criativa, Amyi VIII é um eau de parfum genderless inspirado em um feixe de luz em meio à escuridão. De caminho olfativo âmbar amadeirado, o perfume se abre em aura esfumaçada e intensa com as notas de tomilho vermelho, framboesa e sal marinho. O coração da fragrância pulsa com a francesa erva flouve, um ingrediente inusitado que fascina o perfumista. Amyi VIII evolui para um fundo macio e confortável de âmbar, sândalo e olíbano envolvidos por um acorde macio de camurça branca. Uma composição capaz de provocar as sensações mais intrigantes.  

 

Em menos de um mês, conheceremos os ganhadores do troféu tão desejado, The Golden Pear. Contamos com a torcida de vocês, Amyi lovers, para celebrar desde já essa grande vitória da perfumaria brasileira. Agora é  contagem regressiva e dedos cruzados! 

 

Acompanhem conosco outros conteúdos sobre o prêmio e o Amyi VIII por aqui e em nosso IG @amyi_perfumes. 

Publicado em Deixe um comentário

Série: os 5 princípios da perfumaria, segundo a amyi

CincoPrincipiosPerfumaria

Primeiro princípio: o olfato é essencial para o nosso equilíbrio emocional

Quantas vezes você já se pegou, de repente, em outro lugar, outro tempo, revivendo uma lembrança simplesmente por ter sentido um cheiro? Muitas vezes, tenho certeza. E você já reparou que os cheiros fazem você viajar intensamente em questão de milésimos de segundos? Pois é, nosso olfato é poderoso e rápido assim. 

Estudos de neurociência apontam que 75% das emoções que sentimos diariamente são desencadeadas pelo cheiro. Isso mesmo… 75%. Por isso, se buscamos mais equilíbrio emocional, a consciência sobre os cheiros que estão ao nosso redor e o que eles nos fazem sentir pode ser um caminho de incríveis descobertas. 

E por que o olfato é o sentido humano de maior conexão com as emoções? Diferente dos nossos outros sentidos como audição, tato, visão e paladar onde seus estímulos percorrem um caminho mais longo – e mais racional –  o olfato tem uma conexão quase que direta com a parte mais primitiva do cérebro que gerencia as emoções.

Sendo um dos sentidos mais importantes para a sobrevivência humana, o olfato é o primeiro a se desenvolver por completo ainda no útero materno. Através dele, após o nascimento, iniciamos a compreensão do mundo externo, e somos capazes de  encontrar a fonte do nosso alimento – o leite materno. Começa aí a formação da nossa rede complexa de cheiros, emoções e memórias.

Lembre-se: cheiros desencadeiam memórias. Memórias influenciam emoções. Emoções definem humor. Humor influencia comportamento. 

Sabendo que tudo isso acontece –  querendo ou não o despertar de certas emoções – por que não observar o que os diferentes cheiros provocam e usá-los a nosso favor? 

Como seria o seu dia-a-dia se você soubesse qual perfume faz você se sentir confiante ou transbordando de energia? Qual faz você se sentir em paz ou capaz de conquistar o mundo? Qual perfume te conecta com a natureza divina ou desperta o seu lado mais instintivo? Só você sabe onde um perfume é capaz de te levar. E ele pode ser como um amuleto para você. 

Foi por isso que criamos na Amyi um processo baseado em programação neurolinguística que te ajuda a compreender as emoções despertadas pelos nossos perfumes, chamada Experiência Amyi. Uma verdadeira experimentação olfativa para acessar com consciência seus sentimentos, memórias, histórias… suas emoções. 

Para compreender o poder do seu olfato, te convido a pegar qualquer perfume que você tenha em casa e acessar o nosso roteiro sensorial. Um exercício rápido, especial e gratuito para você começar a se reconectar com o poder do olfato. Vamos lá?

ExercícioSensorialAmyi